EDUCAÇÃO FÍSICA E TECNOLOGIA

07/03/2011 10:00

 

Educação Física e a Tecnologia

(imagens disponíveis na galeria de fotos)

As tecnologias são no campo da Educação Física de uso muito antigo, muito embora não estejamos reconhecendo a bola, a rede, a gol como uma ferramenta tecnológica, ou mesmo um pedaço de giz, mas podemos dizer que os homens vêm inventando e recriando tecnologias. Assim, fazendo uso destas tecnologias na cultura corporal.

A tecnologia está presente em vários segmentos do nosso cotidiano e seu crescimento trouxe grandes benefícios à vida do ser humano. Por exemplo, na área esportiva a tecnologia tem se mostrada uma verdadeira aliada ao meio. As novidades tecnológicas ajudam os atletas a superarem limites, auxiliam os árbitros nas tomadas de decisões e contribuem para uma prática mais segura para os não-atletas.

            Alguns exemplos:

  1. McKethan e Turner (1999) desenvolveram um sistema multimídia que ajuda a analisar habilidades esportivas em crianças. O sistema deles é projetado para permitir que os alunos comparem a execução madura e imatura das habilidades. Os alunos também podem usar o programa para examinar pistas para uma performance correta.

2.    Katz, Kilb e Liebermann (2001) desenvolveram um programa de voleibol multimídia interativo para técnicos de voleibol que fornece aulas educativas sobre o planejamento da prática, um banco de dados interativo de 400 exercícios de movimentos completos do voleibol, e um recurso integrado de planejamento prático que permite ao treinador selecionar os exercícios apropriados, personalizar a prática e então imprimir o plano de prática. Se desejado, os treinadores podem ainda demonstrar os exercícios num sistema de projeção de vídeo diretamente conectado ao plano de prática computadorizado. O programa é baseado num modelo de necessidades que examina os fatores que devem ser considerados no desenvolvimento de recursos interativos para treinamento ou instrução de jogos esportivos. (Liebermann & Katz, 2001).

  1. Jenkins (2000) relatou que o velocista olímpico Michael Johnson foi analisado por uma transmissão recente. Pequenos sensores foram colados ao peito e pernas de Johnson para medir cada passo e batimento do coração durante a proporção de 4 x 400 metros. Informações sobre o batimento cardíaco de Johnson, sua velocidade, distância, aceleração cadência, largura do passo e taxa de queima de calorias eram exibidas em tempo real durante a corrida. Treinadores e fãs podem ter acesso ao banco de dados das informações.

(Fonte dos itens 1, 2 e 3: KATS, Larry. Inovações na Tecnologia Esportiva: Implicações para o Futuro. Acesso: http://www.confef.org.br/RevistasWeb/n3/inovacoes_tecnologia.pdf)

4.      Na natação os maiôs ajudaram a superar recordes, as câmeras acabam expondo cada minucioso detalhe, com isso provando que a tecnologia também é uma revolução nos esportes. Apesar de que os supermaiôs já foram proibidos a partir do ano de 2010, mas isso não significa que na natação a tecnologia não esteja mais presente, novos recursos já estão em experimento. Tanto é que agora estão analisando o desempenho nos atletas através de novos blocos de partidas. Que tem como benefício dar vantagem na hora da largada.

5.    Ainda no mundo das piscinas, no nado sincronizado a tecnologia no esporte se faz presente através de recurso de áudio. Para ouvir a música é utilizado um som sub-aquático com ótima qualidade acústica, como também clip de nariz para não incomodar os esportistas.

6.    Na esgrima, por exemplo, os esportistas apresentam praticamente dois adversários. Além do oponente, existem cabos eletrônicos que imitem os movimentos durante as provas. Em Curitiba, atualmente está sendo testado um sistema sem fios na qual prometem acusar os golpes praticados e dando mais liberdade aos esgrimistas.
 

7.    Nos esportes de luta, os atletas aprimoraram a velocidade dos golpes, mas o olho humano continua sendo o mesmo e com isso o resultado muita das vezes sendo questionado. Por isso, no TaekWon-Do estão testando um colete eletrônico que sinaliza os golpes, validando assim a pontuação.

  1. O judô é outra categoria de esporte de luta que pretende utilizar a tecnologia para definir os seus resultados. Hoje, são três árbitros que ficam posicionados no tatame analisando os golpes. A nova proposta é deixar um árbitro e os outros dois assistindo a luta por monitores de TV.
  2. Empresas de calçados e celulares se uniram para produzir o miCoach (celular + tênis + monitor cardíaco) que ajuda os usuários a manterem a forma física. Através do celular que é capaz de se comunicar com o tênis do usuário - que possui um sensor na palmilha - e com um leitor de ritmo cardíaco, o usuário poderá acompanhar a performance durante as atividades físicas. Pode-se acompanhar todos os detalhes da sua corrida como tempo, distância percorrida, velocidade e calorias gastas pela tela LCD de 2 polegadas do celular.
  3. É facilmente encontrado em lojas esportivas um aparelho chamado “Frequêncímetro”. O dispositivo capta os batimentos cardíacos por meio de uma fita colocado no peito juntamente com um relógio que mostra a frequência cardíaca durante a prática de uma corrida, caminhada ou um esporte.
  4. Os avaliadores físicos utilizam um aparelho chamado adipômetro, pelo qual são feitos estimativas da composição corporal das pessoas avaliadas.
     

Enfim, é notório que a tecnologia é de grande valia para a prática de esportes e exercícios físicos, bem como para facilitar e tornar mais eficiente e segura, porém temos o uso descontrolado do computador, televisão, a automação nas empresas e outras tecnologias que contribuem para o aumento do sedentarismo.